OITO FORMAS DE RETIRAR UM RISCO DE BORDADO Dicas Iniciais de Bordados

Compartilho algumas dicas de experiências, com o uso dos materiais para se riscar um bordado.
Transferência dos RISCOS
Em se tratando de transferência de risco em tecidos, existem muitos materiais disponíveis, vamos falar de alguns. A escolha depende do tipo de tecido que você vai usar.
Se for tecido fino, transparente, pode riscar usando técnicas que exploram a transparência, mas existem tecidos grossos e porosos onde o risco exige alguns cuidados.

1 - PÓ PARA RISCAR
-Vamos falar agora de tecido tipo Veludo.
Não é possível usar carbono para se marcar o desenho, então será preciso aplicar a técnica do pó com molde perfurado.
Material Vamos usar folha de papel vegetal Agulha grossa para perfurar o papel Pincel de uns 2 cm de largura Pincel número zero ,Talco Tinta para tecido tipo aquarela na cor que preferir e der boa visibilidade.
Técnica:
Retire o risco que for bordar no Papel Vegetal com uma caneta fina. Perfure todo o risco com agulha grossa mantendo uma distância de 3 mm entre cada furo, de forma que não fique tão próximo que possa unir os furos, nem tão distante que falhe o risco.
Com o contorno todo perfurado, prepare o Veludo, fixado sobre uma mesa com ajuda de fita crepe.
Centralize o risco sobre o tecido e fixe também com fita crepe, pegando agora veludo papel e mesa.
Com o pincel mais largo, pulverize talco nobre o desenho de forma que penetre nos orifícios.
No início, levante uma borda para ter certeza se está marcando bem, acertando a quantia de pó a ser usada, finalize a marcação.
Retire o papel cuidadosamente para não derramar o excesso e borrar o veludo.
Agora com o pincel fininho, usando tinta para tecido do tipo aquarelável, risque sobre a marcação do talco, fazendo assim um risco definitivo. Deixe secar bem e então solte as fitas que ainda prendiam o veludo e chacoalhe bem para que o talco se despenda totalmente. Transferir risco para Linho ou Tecido claro Existem muitas formas de se transferir um risco. 

CARBONO
Eu não gosto de usar carbono porque o material à venda varia muito em qualidade e um belo dia você se depara com um risco que não sai na lavagem. 
Seu bordado ali lindo, e o risco aparece sombreando o contorno e é preciso usar muito sabão para tentar retirar a marca.
Algumas vezes ela não sai, principalmente quando se usa carbono para papel, como aqueles azuis. 
O que ocorre é que certos carbonos contém cera e isso fica impregnado no tecido. Existem carbonos usados para impressoras matriciais que são bons para riscar os bordados, estes não contém cera.

Para quem prefere usar os carbonos,aqui vão as dicas:
-Fixe o risco sobre o tecido, bem centralizado. 
-Alfinete as bordas e coloque o carbono , e nem precisa ser grande, pois poderá andar com ele conforme for riscando. 
- A cada quadrante, levante o papel de seda para ver se está saindo um risco visível. Os alfinetes não deixarão o modelo sair do lugar.
Pode ser que precise usar caneta ao invés de lápis, o grafite é muito mole nestes casos.

Outra opção:  
3 - PAPEL DE TRANSFERÊNCIA
         Temos um vídeo para demonstração: https://youtu.be/qSNpXZ59a1o

Com Caneta Solúvel em água. Eu usei um material importado da marca Bohin que você pode adquirir no site de compras da Le Petit Ateliê, mas tem muitas marcas de canetas assim disponível no mercado.
Veja na foto a imagem do material para pedir o seu.
Deixa um trabalho limpo, retira seu risco de forma razoável pois não sai muito fino, (vem 3 ou 4 tecidos que podem ser apagados com água, reutilizável varias vezes).
Este material vem com a canetinha acompanhando. 
Você risca o tecido que vem no kit colocando sobre o desenho. Depois centraliza no tecido e risca sobre o risco. Vai transferir para seu tecido.
A vantagem é que pode ser apagado para correção. Se bordar com linha fina e aparecer o risco, é só molhar o bordado pronto que ficará perfeito. 
Na foto a imagem aparece meio borrada, mas o seu trabalho não fica assim, embora eu ainda ache que ele não serve para desenho mais detalhado. 
Você também pode adquirir a caneta que apaga, é pratica porque já vem com a água dentro dela.
As Canetas solúveis em água transferem desta forma, este é o risco feito com elas. Dá para ver bem, é fácil e rápida. Quanto se tratar de um risco simples esta forma é muito fácil.
E a vantagem é que podemos corrigir molhando apenas. Quando o bordado estiver pronto, é só molhar o que ficou de fora e desaparece completamente. O tecido de transferência também pode ser molhado e zerado para novo uso. Esta é a caneta d´água que apaga, mas você pode fazer isso com um cotonete molhado.

4 - TRANSFERÊNCIA ESPELHADA
Para Retirar um risco que está espelhado como a foto acima, a primeira coisa a fazer é copiar o risco em folha de papel vegetal pois a TEXTURA DO PAPEL NOS DARÁ MAIS SEGURANÇA
Aí é só você virar do avesso que terá o desenho correto para usar as técnicas de transferência que preferir.
Um risco vem assim para facilitar no caso de fazer aplique, ou porque será usado para bordado em ponto sombra.
Ou também para que use o risco da forma que veio, apenas riscando com lápis de transferência a ferro, sobre o risco, virando sobre o tecido e passando a ferro. Assim ele será transferido e ficará na posição correta.

LÁPIS COM ADERÊNCIA A FERRO
Este lápis é usado para transferir o risco com o calor. Ele deve ser usado no verso do risco, por isso devemos riscar primeiro no papel vegetal ( que é mais fino e nos dará transparência para retirar o modelo com fidelidade) e usar o lápis no avesso do papel.
Depois você posiciona sobre o tecido e passa com ferro quente
A imagem fixa e você pode até corrigir ou reforçar com lápis 6 B.
Se o risco ja vier espelhado, claro você copia direto no papel com o lápis transfer e vai para o tecido calcar o desenho com o calor do ferro.


5 - LÁPIS 6B
Eu uso muito lápis 6 B para os bordados, eles não mancham, podem ser apagados se errarmos, e não saem facilmente enquanto bordamos. Quando vou riscar um bordado que eu mesma crio, é ele que uso. Lápis 6 b Bem apontado.
O emprego é bem simples, retiramos o risco em papel vegetal, com caneta bem fina. Riscamos agora no avesso, com lápis 6 B usando agora ponta grossa e apertando bem em todo avesso, sob superfície bem dura.
Feito isso, você terá dois riscos Um do direito e um do avesso ( grafitado) Posicione o papel sobre o tecido, com o grafite para baixo, fixe com alfinetes e risque novamente, usando uma caneta e sobre uma superfície bem dura.
Risque olhando o resultado para sentir o que deve melhorar.

6 - JANELA DE LUZ 

Ao usar a luminosidade de uma janela ou de uma mesa de vidro com luz de baixo para cima, você obtém um bom resultado sem muito esforço.
Vai precisar do risco, o tecido ( que não pode ser muito grosso) um lápis 6 B e fita crepe. 
Posicione o risco em um vidro de janela com luz do lado de fora, claro que esta técnica só pde ser feita durante o dia. Fixe com fita crepe.
Centralize o tecido que vai usar sobre o risco e fixe também com fita crepe.
Com lápis 6 B, risque acompanhando a sombra , já direto sobre o seu tecido.
O lápis é o ideal aqui também porque não tem o problema de acabar a tinta, quando se trabalha nesta posição a tinta costuma falhar.

7 - MESA DE LUZ


Encontrei estas dicas no blog da Marjolein e aproveito as imagens porque estão boas para ilustrar nosso assunto. 
Se você não tem mesa de vidro na sua casa, tente fazer uma improvisada.
Utilize uma vasilha de metal, um vidro forte e uma lampada como esta, não é difícil de fazer com um bocal e um pedaço de madeira.
Reparou que tem espaço para que o ar circule?

Note que foi colocado um tecido no fundo, para não encostar a lâmpada no metal.
E se você tem uma mesa com tampo de vidro na sua casa, é  ligar um abajur embaixo que fará o mesmo efeito.Vê como podemos improvisar uma mesa para riscar? É só ter criatividade.
Eis a vantagem Nesta posição, seus braços não se cansam ao riscar e a caneta ( se for o caso de usar caneta ) não falha a tinta . 
E a melhor das vantagens é que ao usar este método você risca direto no tecido. 
Basta posicionar o risco por baixo e o tecido por cima.

MESA DE LUZ  2
Acabo de capturar do Pinterest esta imagem que fala por si. Com criatividade você não tem mais desculpa para não ter uma mesa de luz. Funciona tão bem quanto as importadas  Precisa falar como se faz?


8 - MONITOR DE COMPUTADOR COMO MESA DE LUZ 
Também já vi o uso do próprio monitor do computador como mostruário para se colocar o papel de seda ou vegetal e riscar - Use lápis para riscar sobre a tela. NÃO USE CANETAS pois podem danificar seu monitor.
Esta técnica é boa porque você pode aumentar o tamanho do desenho ou diminuir a seu gosto.


2 comentários:

Seja bem vinda para comentar. Sua opinião é importante aqui.